A CONQUISTA DO ESPAÇO, VARIAÇÃO SOBRE UMA ARTE DO ENCONTRO: O GESTO BARROCO

Yannick Butel

Resumo


Se esse artigo tem um ponto de vista crítico, é porque ele foca nas finalidades e objetivos das práticas teatrais que, sob uma conjuntura ideológico-econômica, cientes ou não disso, se encontram a serviço do interesse e da preocupação do “fazer comunidade”. Isso se dá em razão da organização estrutural do teatro (tanto os elementos teatrais quando a indústria do espetáculo) que faz parte de uma ideia de “fábrica do comum”, onde é preferível a noção de público (e consequentemente de povo) à noção de indivíduo (ou seja, de singularidade banal, anônima). Em vista de tal organização estratégica do fenômeno teatral, as práticas em espaços abertos podem, então, ser consideradas como uma alternativa que incorpora o modelo de “biopolítica”, cujo objetivo é o de libertar a vida, de retirá-la do adestramento institucional comentado por Michel Foucault em “A vontade do saber”, quando ele analisa o “biopoder”.


Palavras-chave


Colonização do pensamento. Práticas Urbanas. Espaço Público. Indústria Cultural. Teatro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.73508





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380