NO CORPO DO (CON)TEXTO: DO TEMPO COTIDIANO, DO TEMPO ESPETACULAR

Thiago Silva de Amorim Jesus, Josiane Gisela Franken Corrêa

Resumo


O texto aborda o corpo em relação ao tempo cotidiano, o contexto e o tempo espetacular, reflexão ancorada nas teorias de autores como Katz & Greiner (2002), Rodrigues (1975), Mauss (2002), Foucalt (1987), Gil (2004) e outros. É possível considerar que a materialização corporal produz uma asserção dos princípios e valores coletivamente instituídos pelas esferas sociais, assim como alimenta a criação de novos paradigmas e, com isso, demonstra a importância ímpar que o corpo assume para o entendimento das diferentes sociedades. O contexto da criação artística nas artes da cena mostra-se como terreno fértil para a expressividade dos sujeitos, para a projeção de novas ideias e mesmo para a invenção de novos modos comportamentais corporais, o que não diminui a relação corporal-contextual, pelo contrário, potencializa a ideia de que antes de existirem de determinado modo, estão, corpo e contexto, em constante movimento, seja no tempo cotidiano ou no tempo espetacular, retroalimentando-se e significando novos modos de ser e estar em sociedade.


Palavras-chave


Corpo. Artes Cênicas. Contexto Social.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.72666





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380