A UTILIZAÇÃO DO GESTUAL COTIDIANO E ALGUNS DE SEUS DESDOBRAMENTOS NO ESPETÁCULO KONTAKTHOF (1978) DE PINA BAUSCH PARA O TANZTHEATER WUPPERTAL

Marina Milito de Medeiros, Sayonara Pereira

Resumo


O presente artigo pretende contextualizar o trabalho da coreógrafa e bailarina alemã, Pina Bausch (1940-2009), referência mundial do Tanztheater[1]. Nosso recorte foca na análise da utilização do gestual cotidiano na obra de sua autoria Kontakthof. O espetáculo cênico foi criado em 1978 com bailarinos do Tanztheater Wuppertal e sua construção girou em torno dos conflitos inerentes às relações humanas, relações de poder, de carinho, de submissão, de descoberta e de exposição. Realiza-se uma análise das formas de utilização do gestual cotidiano no espetáculo cênico que no ano 2000 teve uma remontagem com senhores e senhoras maiores de 65 anos, e em 2008 com alunos das escolas públicas da cidade de Wuppertal, todos sem nenhuma experiência profissional em dança. Suporta teoricamente este artigo as abordagens de autores como: Stanislavski, Brecht e Gil em diálogo com outras obras cênicas de Bausch.

[1]Tanztheater – Movimento de Dança que surgiu na Alemanha nos anos 1930 através de algumas proposições de Kurt Jooss (1901-1979)de somar à linguagem da dança clássica a dramaticidade do teatro, e chegou aos nossos dias através dos trabalhos cênicos e a pedagogia das coreógrafas: Pina Bausch, Reinhild Hoffmann (1943), Susanne Linke (1944), entre outros. (PEREIRA, 2007)


Palavras-chave


Tanztheater; Pina Bausch; Kontakthof; Gestual Cotidiano

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.72617





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380