AS METÁFORAS DA NATURALIDADE E DA ARTIFICIALIDADE NAS PRÁTICAS DA VOZ EM PERFORMANCE

Barbara Biscaro

Resumo


O presente texto busca refletir sobre os estudos em práticas vocais a partir do binômio natural versus artificial. O raciocínio tecido aqui busca em diversos autores e autoras do século XX, sendo estes/as teóricos da voz ou artistas de teatro, os registros de como cada pesquisador/a concebe e utiliza as metáforas de naturalidade e artificialidade da voz em cena. Tais concepções abarcam noções de treinamento, visões de mundo, objetivos estéticos e formas de registro da vocalidade da cena, elementos estes que são engendrados no texto a fim de evidenciar e problematizar os paradoxos de uma escrita acadêmica sobre o corpo do artista da cena.


Palavras-chave


Voz; Natural; Artificial; Práticas Vocais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.69531





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380