TRANSCRIANDO SHAKESPEARE: PALAVRA E/EM DANÇA

Ines Saber de Mello, Luci Collin, Nalu Rocha

Resumo


Este artigo apoia-se nos estudos de intermidialidade, transcriação de poesia, dança e literatura para fundamentar a transcriação do Soneto 12 de William Shakespeare. A palavra em cena potencializa através da corporeidade a expressão de discursos além do dizível.  Ao cruzar teoria e prática é possível transformar as percepções corpóreas e o próprio entendimento poema. Ao pensar em fidelidade e transformação, esta produção emergiu como possibilidade de novas chaves de leitura do soneto, por aproximação e afastamento de seu tema raiz: o tempo. A reflexão corporal passa pela provisoriedade, permeabilidade e continuidade pela percepção do tempo, no poema, na dança e na condição humana. 


Palavras-chave


Intermidialidade. Transcriação. Dança e palavra. Linguagem corporal.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.52003





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380