A PARTEIRA E A DIRETORA: PAPEIS ANÁLOGOS ENTRE O PARTO E O PROCESSO CRIATIVO NO MÉTODO BPI

Elisa Massariolli da Costa, Graziela Estela Fonseca Rodrigues

Resumo


Este artigo provém de uma pesquisa de Doutorado e busca esclarecer particularidades da relação entre diretora e intérprete no processo criativo do método BPI (Bailarino-Pesquisador-Intérprete). Para isso, fazemos uso de uma analogia na qual o papel da diretora se assemelharia ao papel de uma parteira. Dentre as várias ações propostas na metodologia deste projeto, uma delas consistiu em realizar pesquisa de campo junto a parteiras tradicionais da etnia indígena Pankararu, averiguando, dessa forma, a analogia mencionada. Muito foi vivenciado em campo, junto às parteiras, levantando dados que podem ajudar na compreensão da natureza do processo criativo no BPI.


Palavras-chave


Bailarino-Pesquisador-Intérprete. Relação diretora-intérprete. Parteiras Tradicionais. Processo Criativo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.48179





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380