CELSO NUNES E A ENCENAÇÃO D’A VIAGEM: UM CLÁSSICO NÃO-TEATRAL NO BRASIL DOS ANOS DE CHUMBO

Gerson Praxedes Silva

Resumo


O artigo investiga aspectos da montagem do espetáculo A Viagem, encenado por Celso Nunes e adaptado por Carlos Queiroz Telles sobre a obra Os Lusíadas, de Luís de Camões. A produção foi de Ruth Escobar, estreada em São Paulo no ano de 1972. Naquele contexto histórico brasileiro, marcado por forte repressão militar, a montagem orientou-se pela ideia de um espetáculo aberto à participação criativa de toda a equipe, apontando para novas possibilidades dramatúrgicas – hoje largamente utilizadas e expandidas – e para as cumplicidades coletivas quando ajuntadas pelas poéticas teatrais.

Palavras-chave


Encenação teatral; Dramaturgias contemporâneas; Teatro brasileiro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.38629





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380