A percepção do bailarino de dança contemporânea sobre "ser bailarino"

Aline Nogueira Haas, Bruna do Nascimento Carrasco, Martina Bevilacqua, Ângela Cristina Bugs Gonçalves, Gabriel de Negreiros Ketzer

Resumo


Este artigo apresenta considerações resultantes de uma investigação de campo, descritiva e de cunho qualitativo, que tem como objetivos analisar a percepção do bailarino de dança contemporânea com relação a “ser bailarino” e identificar as implicações de “ser bailarino” na sociedade atual. Os sujeitos de pesquisa foram sete bailarinos que atuam profissionalmente na área da dança contemporânea na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Para a coleta de dados, foi utilizada uma entrevista individual semiestruturada com perguntas abertas, que foram gravadas e, posteriormente, transcritas com fidelidade, sem alterações dos vocábulos utilizados. Verificamos que a tendência da sociedade atual é não aceitar primeiramente a profissão de bailarino, tratando-se de um indivíduo do gênero masculino, mas depois do reconhecimento dessa atividade, tanto sociedade, quanto família e ciclo de amizades aprovam essa profissão e orgulham-se dos homens bailarinos. Os bailarinos entrevistados enfatizam o amor pela dança e pela sua profissão, na qual, apesar das dificuldades iniciais e dos preconceitos, sentem-se realizados profissionalmente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.20756





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380