REFLEXÕES EXISTENCIAIS EM SONHO DE OUTONO, DE JON FOSSE

Maria Inês Chaves, Anna Stegh Camati

Resumo


Em razão da expressividade internacional de Jon Fosse no âmbito da dramaturgia contemporânea, e da quase inexistência de pesquisas, em língua portuguesa, relacionadas à sua obra, este trabalho pretende realizar uma análise da peça, Sonho de outono [Draum om hausten], publicada em 1998. O texto será discutido à luz das considerações teóricas de Hans-Thies Lehmann (2007), Patrice Pavis (2007), e da pesquisadora Karolína Stehlíková (2006) que desenvolveu um detalhado estudo sobre a evolução da dramaturgia de Fosse, traçando suas principais caracteristicas e especificidades. A peça em questão mostra a dificuldade de relacionamento entre um homem, seus pais e duas mulheres. A ação ocorre em um cemitério, as personagens não têm nome, sendo apresentadas como o Homem, a Mulher, a Mãe, o Pai e Gry. A estrutura sintática da peça é simples, mas o texto vem impregnado de subtextos que ilustram as chaves ocultas dos comportamentos humanos.

Palavras-chave


Dramaturgia Contemporânea; Jon Fosse; Subtexto; Condição Humana; Relacionamento Familiar;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.16386





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380