ARTISTAS POPULARES DA PRAÇA DO FERREIRA: RESISTÊNCIA DIANTE DA LITTLE BOY BRASILEIRA - FORTALEZA/CE

Mariana Elâni Santos de Oliveira, Maria de Lourdes Macena de Souza, Luiza Jovina Barbosa Girão

Resumo


Resistir para existir, os artistas populares de Rua da praça do Ferreira são o exemplo de que a continuidade de seus fazeres artísticos são parte da identidade de nossa cidade. Propomos uma reflexão de que a prática desses artistas fazem parte do campo de práticas contra hegemônicas (SANTOS, 2002). Analisamos ainda outros aspectos que conectaram-se as relações dos artistas com seu local de apresentações (DOTE, 2017), demonstrando as influências do passado que impregnaram a praça de vida e potência e transcenderam os aspectos urbanos (PELBART, 2000). A ideia de Arte de subsistência que citamos nesta pesquisa produziu, em nossa visão, intencionalidades pré-existentes antes do período pandêmico, momento em que, muitos pararam e recolheram-se em suas residências, porém, os artistas não puderam ter esse privilégio. Esse fator demarcou socialmente as vidas desses agentes da Arte que resistem à sois, chuvas, vírus mortais, entre outros obstáculos, lutando diariamente por seu espaço de trabalho na Rua e pelo reconhecimento de sua ação como fundamental para o entendimento de nossos processos culturais.

 

Palavras-chave

Artistas Populares de Rua. Arte. Cultura. Praça do Ferreira.



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.107937

REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380