TUDO POR RECOMEÇAR / TRIZ - A GRAFIA DA ESPADA DO TEMPO

Doris Rollemberg Cruz

Resumo


O texto é parte integrante da minha atual pesquisa de pós-doutoramento Grafismos na solidão, desenvolvida na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa. O assunto nuclear no qual agora me debruço, passa por identificar o locus solus, entendido como espaço utópico construído solitariamente para que possamos nos dedicar a sonhar com a criação da obra concentrada em seu próprio processo criativo. A pesquisa redesenha os conceitos primeiramente traçados na tese A cenografia além do espaço e do tempo. O Teatro de dimensões adicionais. Para tal, volto à criação da maquete-objeto Grafismos exposta na Mostra World Stage Design de 2013. O atual interesse ao retomar a obra Grafismos é pensar o modelo reduzido como objeto em si, como obra original que se torna autônoma, tendo sido criada a partir de outra obra de origem. Estudo ainda outras obras que pertencem ao espaço da solidão. Resultantes criadas em outro formato, objetivando grafar a travessia do próprio espaço temporal. Para refletir sobre a obra autônoma derivativa de outra composição, escolho e revisito a obra esférica Triz de Freusa Zechmeister, exposta na Representação Brasileira da Quadrienal de Praga 2015 Tudo por recomeçar.

 

Palavras- chaves

Artes. Cenografia. Modelo Reduzido. Quadrienal de Praga 2015. Freusa Zechmeister. Grupo Corpo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.104113

REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380