A VIOLÊNCIA VERBAL E NÃO VERBAL: UM EMPECILHO PARA O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

Ariele Helena Holz Nunes, Gabriela Elenita Tureck, Marly Krüger de Pesce

Resumo


Objetiva-se por meio desse analisar a construção do discurso político-pedagógico acerca da dimensão da violência no aparato escolar, sobretudo, nas imediações da sala de aula.  Para tanto, o apoio teórico foi buscado em Foucault (2000), Fairclough (2008), Grice (1982), Orlandi (2001), entre outros. Considerando que na contemporaneidade os casos de violência envolvendo o corpo discente e docente da instituição escola estão crescendo em grande escala, foi questionado, especialmente, em que medida a violência verbal e não verbal interfere no processo de ensino e aprendizagem. Os resultados sugerem que a escola enquanto espaço da diversidade recebe sujeitos com particularidades e pertencentes a realidades distintas, os quais apresentam condutas inadequadas durante os processos de interação com o outro e o mundo. 

Palavras-chave


Discurso; Prática Pedagógica; Violência.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violência nas escolas. Brasília: UNESCO, 2002.

ASSIS, Simone Gonçalves de. Impactos da violência nas escolas: um diálogo com professores. Rio de Janeiro: Ministério da Educação – MEC/ Editora Fiocruz, 2010.

CHARLOT, Bernard; ÉMIN, Jean-Claude. Violence à l’école – etat de savoirs. Paris: Massone Armand, 1997.

CHESNAIS, Jean-Claude. Historie de la violence. Paris: Éditions Robert Laffont, 1981.

DERBABIEUX, Éric. La violence em millieu scolaire: l’etat des lieux. Paris: ESF éditeur, 1996.

FAIRCLOUGH, Normam. Discurso e mudança social. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2001.

FOUCAULT, MICHEL. A ordem do discurso. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2000.

GRICE, H.P. Lógica e conversação. 1982. In: DASCAL, Marcelo. Fundamentos metodológicos da Linguística. São Paulo: UNICAMP, 1982.

MARRIEL, L. C. et all. Violência escolar e auto-estima de adolescentes. NET. São Paulo, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742006000100003. Acesso em 22/11/2017.

MICHAELIS 2017, Melhoramentos. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/. Acesso em 22/11/2017.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. São Paulo: Pontes, 2001.

PAYET, Jean- Paul. Le Segregation Scolaire: Une perspective Sociologique sur la Violence à L’école. In. DERBABIEUX, Éric. La violence à L’école: Approaches Europeenes – Revue Françaice de Pedagogie, nº 123, Institute National de Recherche Pedagogic, 1997.

SANTOS, José Vicente Tavares. A palavra e o gesto emparedados: a violência na escola. PMPA, SMED, 1999.

SPOSITO, Marília Pontes. A instituição escolar e a violência. In. Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, nº 104, p. 58-75, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.93379



Direitos autorais 2019 Ariele Helena Holz Nunes, Gabriela Elenita Tureck, Marly Krüger de Pesce

 

Indexadores: 

    

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil