AS DIMENSÕES SOCIAIS DA MUDANÇA EM PEÇAS DE TEATRO DE AUTORES GAÚCHOS: INSERÇÃO E PROPAGAÇÃO DO PRONOME A GENTE NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

Paulo Ricardo Silveira Borges

Resumo


O objetivo deste artigo é demonstrar o quanto e como as variáveis sociais são importantes para a compreensão do processo de mudança em torno da inserção do pronome a gente no português brasileiro. O trabalho é na perspectiva da sociolinguística histórica, e os dados foram coletados em onze peças de teatro escritas por autores gaúchos, correspondendo a um período histórico de cem anos: 1896 a 1995. O trabalho procura esclarecer como ocorreu a inserção de a gente no português brasileiro e como as variáveis sociais se correlacionaram com as variáveis linguísticas durante o processo de mudança ocorrido e quais os reflexos decorrentes desse processo histórico de encaixamento linguístico nos moldes da teoria da variação e mudança linguística (Weinreich, Labov e Herzog, 1968).


Palavras-chave


Português do Brasil; pronome a gente; variação e mudança; sociolinguística histórica.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Amadeu. O dialeto caipira. São Paulo: Anhembi, 1955.

BORBA, L. do R. Alguns aspectos sobre o uso de “nós” e “a gente” em Curitiba. Fragmenta, Curitiba, n. 10, Editora da UFPR, p. 65-76, 1993.

BORGES, Paulo Ricardo Silveira. A gramaticalização de a gente no português brasileiro: análise histórico-social-linguística da fala das comunidades gaúchas de Jaguarão e Pelotas. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2004.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em língua materna: sociolinguística em sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ELIZAINCÍN, Adolfo. Tipología y diacronía desde el punto de vista funcional. Atas do IX Congresso Internacional da associação de Linguística e Filologia da América Latina (ALFAL), v. 2, 1993.

GUY, Gregory. Language and social class. Linguistics: The Cambridge Survey, v. 4, 1987.

______.Variação e mudança linguística: dimensões sociais. XII Encontro Regional do Projeto Varsul, Curso livre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil, 2001.

GUY, Gregory; HORVATH, Barbara; VONWILLER, Julia; DAISLEY, Elaine. An intonational change in progress in Australian English. Language in society, University Sydney, v. 15, n. 1, p. 23-52, 1986.

HEEMANN, Cláudio. O Teatro de Simões Lopes Neto. In: Teatro completo de Simões Lopes Neto. Porto Alegre: Movimento, 2018.

KROCH, Anthony. Toward a theory of social dialect variation. Language in society, n. 7, 1978.

LABOV, William. The social stratification of English in New York City. Washington D.C.: Center for Applied Linguistics, 1966.

______. Sociolinguistic patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.

______. The intersection of sex and social class in the course of linguistic change. Language variation and change, 1990.

______. Principles of linguistic change: internal factors. Oxford: Blackwell, 1994.

______. Principles of linguistic change: social factors.Oxford: Blackwell, 2001.

LOPES, Célia Regina dos Santos. A inserção de “a gente” no quadro pronominal do português: percurso histórico. Tese de Doutorado. UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, 1999.

LUCCHESI, Dante. Língua e sociedade partidas: a polarização sociolinguística no Brasil. São Paulo: Contexto, 2015.

MAMBRINI, Ester. Teatro e variação: a colocação pronominal em duas versões de ‘A Viúva Pitorra’, de Simões Lopes Neto. Dissertação de Mestrado. UFRGS, Porto Alegre, RS,2004.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Caminhos da linguística histórica: ouvir o inaudível. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MENON, Odete Pereira da Silva. A gente: um processo de gramaticalização. Estudos linguísticos, Anais de Seminários do GEL, Taubaté, 1996.

NARO, Anthony Juluis; SCHERRE, Maria Marta Pereira. Variação e mudança linguística: fluxos e contrafluxos na comunidade de fala. Caderno de Estudos Linguísticos, n. 20, 1991.

NASCENTES, Antenor. O linguajar carioca. 2. ed. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1953.

OMENA, Nelise Pires de. A referência variável da primeira pessoa do discurso no plural. In: NARO, Anthony Julius et al. Relatório final de pesquisa: projeto subsídios do projeto censo à educação. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 2, 1986.

______.As influências sociais na variação entre nós e a gente na função de sujeito. In: OLIVEIRA E SILVA, Giselle Machline; SCHERRE, Maria Marta Pereira. Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

OMENA, Nelise Pires, BRAGA, Maria Luiza. A gente está se gramaticalizando? In. Variação e Discurso. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

OUSHIRO, Livia. Interação entre Sexo/Gênero e classe social no uso variável da concordância verbal. In: Freitag, Raquel Meister Ko.; Severo, Cristine Gorski (Org). Mulheres, Linguagem e Poder - Estudos de Gênero na Sociolinguística Brasileira. São Paulo: Blucher, 2015.

PAIVA, Maria da Conceição de; DUARTE, Maria Eugênia Lamoglia (2003). Mudança linguística: observação no tempo real. In. MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2003.

ROMAINE, Suzanne. Socio-historical linguistics: its status and methodology. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.

SEARA, Izabel Christine. A variação do sujeito ‘nós’ e ‘a gente’ na fala florianopolitana. Organon, v. 14, n. 28/29, 2000.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William.; HERZOG, Marvin. Empirical foundations for a theory of language change. In: LEHMANN, Winfred; MALKIEL, Yakov. (eds.) Directions for historical linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968.

ZILLES, Ana Maria Stahl. Grammaticalization of a gente in Brazilian Portuguese. In: JOHNSON, D. E.; SANCHES, T. (eds.). University of Pennsylvania Working Papers in Linguistics (Papers from NWAV 30), v. 8, n. 3, 2002.

______. Real, apparent, or both? Three types of evidence for a grammaticalization change in progress in Brazilian Portuguese. Philadelphia: VWAV 32, University of Pennsylvania, 2003.




DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.92310



Direitos autorais 2019 Paulo Ricardo Silveira Borges

 

Indexadores: 

    

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil