DENTRO DO ESPELHO DE SUZY LEE

Luis Carlos Girão

Resumo


Este artigo apresenta uma análise comparativa do aspecto específico relacionado ao processo de figurabilidade resultante dos movimentos de aparecimento e desaparecimento presentes no livro-imagem Espelho (2009), de Suzy Lee, em paralelo ao aclamado “atlas de imagens” do historiador de arte Aby Warburg, Mnemosyne (1929). Nesse percurso, discutimos brevemente os sintomas da produção de presença nas páginas em branco que apontam a existência de um terceiro “cenário” nesta narrativa pictórica criada pela artista sul-coreana. Para tanto, propomos diálogos com os escritos de Michaud (2013) sobre o trabalho de Warburg; os pensamentos de Gumbrecht (2010) sobre a produção de presença na linguagem; além de visadas nas reflexões de Flusser (2008) e Benjamin (1987), bem como de Nodelman (1988) e Linden (2011).

Palavras-chave


aparecimento; desaparecimento; figurabilidade; narrativa pictórica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.83223



Indexadores:       

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)