O TRAUMA PRECISA VIRAR FICÇÃO: UM OLHAR SOBRE O TEOR TESTEMUNHAL DA OBRA K: RELATO DE UMA BUSCA, DE BERNARDO KUCINSKI

Pamella T. Souza de Oliveira

Resumo


Este trabalho objetiva estabelecer uma reflexão da autoficção a partir das teorias do testemunho e da abordagem do trauma enquanto material narrativo. Segundo a teoria levantada por Seligman-Silva de que o episódio traumático encontra na imaginação e na narrativa um bom aporte para a se expressar, objetivou-se analisar a obra de Bernardo Kucinski, K – Relato de uma busca (2011) buscou-se retomar trechos do romance para, à luz das teorias citadas, observar como ele se afasta ou se aproxima do gênero autoficcional. Aqui, sob a luz das teorias que cercam a narrativa testemunhal, busquei analisar a questão pungente do luto e o trauma na escrita, abordando ainda a construção da autoficção e como ela vem, atualmente, se tornando comum enquanto narrativa de episódios traumáticos. 

Palavras-chave


Autoficção. Trauma. Testemunho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.83140



Indexadores:       

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)