A RESISTÊNCIA FEMININA EM CONTOS DE AMOR RASGADOS, DE MARINA COLASANTI

Enedir Silva Santos

Resumo


Este artigo propõe-se a tratar do erotismo como uma forma de resistência na escrita feminina nos anos finais da Ditadura Militar brasileira, pois esta representa um período de intensa perseguição político-ideológica que resultou na marginalização daqueles que ousaram se manifestar contrariamente ao governo. A partir da produção literária as escritoras brasileiras se contrapuseram às barbáries governamentais e ao comportamento imposto pela sociedade patriarcal. Em Contos de amor rasgados, as narrativas de Marina Colasanti utilizam a metáfora do erotismo como um meio de evidenciar o empoderamento feminino e sua posição diante das inúmeras formas de repressão nos contextos social e governamental. Assim, utilizando um diversificado aparato teórico, este trabalho analisa como o erotismo se configura como elemento de resistência.

 

 


Palavras-chave


Ditadura militar; erotismo; narrativa feminina

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67895



Direitos autorais 2017 Cadernos do IL

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil