IRONIA E CONTRANARRATIVA DA NAÇÃO E DA TRADIÇÃO EM O FANTASMA DE CANTERVILLE DE OSCAR WILDE E OS RESÍDUOS DO DIA DE KAZUO ISHIGURO

Henrique Oliveira Lee, Ângela Tavares Nates Moreira

Resumo


Neste artigo, propomos uma leitura comparativa entre o romance Os resíduos do dia(1989) de Kazuo Ishiguro, e o conto O fantasma de Canterville: uma fantasia hiloidealista (1887) de Oscar Wilde. O objetivo desta comparação é investigar o aspecto narrativo das noções de tradição e de nação inglesa. A comparação nos permitiu descrever alguns procedimento comuns a ambas narrativas: 1) o uso dos símbolos canônicos da tradição e da nação inglesa que são ligeiramente deslocados de modo a resultar em um efeito cômico e irônico, 2) a construção de um contraste entre a tradição e identidade nacional inglesa e norte americana, 3) A mercantilização da tradição inglesa metaforizada pelas representações dos protagonistas nas respectivas narrativas.  


Palavras-chave


Literatura Inglesa, Tradição, Nação, Mercantilização.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67883



Direitos autorais 2017 Cadernos do IL

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil