A MÁQUINA NO CORPO DO TRABALHADOR: OS AUTÔMATOS DO DISCURSO

Stefany Rettore Garbin

Resumo


A partir do referencial teórico-analítico da Análise do Discurso pêcheutiana, neste artigo procuro pensar os sentidos do trabalho para o sujeito no atravessamento do corpo pelo discurso. Como materialidade de análise trago os trechos de capa de cinco processos judiciais de acidente de trabalho, onde são brevemente narradas as causas do acidente. Relaciono a partir da noção de autômato o sujeito, interpelado pela ideologia, e sua relação com o trabalho como efeito e não como causa. Na produção a repetição do gesto instaura uma falta. Falha no corpo e no discurso, o acidente é remetido ao funcionamento da máquina, como um defeito. O mundo de sua fabricação não lhe pertence, a falha do corpo retorna no discurso como causa ausente.

Palavras-chave


Trabalho; Discurso; Corpo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67872



Direitos autorais 2017 Cadernos do IL

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil