REGIONALISMOS E CONSTRUÇÕES ENUNCIATIVAS NA NA NARRATIVA ANDINA PERUANA

Rosane Cardoso

Resumo


Este artigo apresenta uma leitura sobre o espaço, a memória e o discurso na narrativa peruana contemporânea, especialmente a andina. Percebendo que “lo andino” extrapola determinado espaço e se amplia para “um discurso sobre” e para um enunciador, reflete-se, neste estudo, sobre como esta enunciação se vincula com a memória a respeito dos conflitos políticos, étnicos e sociais que marcaram a história do Peru desde suas origens e que, recentemente, têm fomentado um número significativo de obras que tanto revisitam a tradição quanto a reatualizam mediante um olhar para além da localidade em determinado espaço e cultura, como percebemos nas obras de Enrique Rosas Paravicino e Óscar Colchado Lucio, por exemplo. Com isso, a narrativa andina se constitui, sobretudo, por um discurso múltiplo, migrante, questionador. 

Palavras-chave


Regionalismo; Indigenismo;Discurso; Narrativa Andina Peruana.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67800



Direitos autorais 2017 Cadernos do IL

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil