O CINEMA MUDO E A CRÍTICA SOCIAL: UMA ANÁLISE DISCURSIVA DO FILME LUZES DA CIDADE

Eduardo Silveira de Menezes, Ercília Ana Cazarin

Resumo


O presente artigo propõe-se a refletir sobre aspectos técnicos, políticos e, sobretudo, ideológicos, os quais compõem o funcionamento discursivo do filme Luzes da Cidade, de Charles Chaplin, gravado em 1931. Por entender a cinematografia como espaço de disputa e conflito, do ponto de vista teórico, entende-se adequado trabalhar com a teoria da Análise do Discurso de filiação pecheuxtiana. Parte-se do conceito de montagem em Eisenstein, sugerindo a colisão de fatores que impulsionam o funcionamento de todo o filme. Por fim, aproxima-se tal perspectiva ao pensamento benjaminiano, no qual se evidencia o potencial transformador da obra de arte.


Palavras-chave


Discurso, Cinema, Ideologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67174



Direitos autorais 2017 Cadernos do IL

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil