EROTISMO E (PU)DOR: A POESIA DE GILKA MACHADO E FLORBELA ESPANCA

Júlio Cesar Tavares Dias, Jéssica Sabrina de Oliveira Menezes

Resumo


Neste trabalho é nossa intenção mostrar o caráter dual da poesia de Gilka Machado e da de Florbela Espanca em relação ao erotismo. Dessa maneira, procuraremos entender de que forma pólos tão distintos como erotismo e dor, no caso de Florbela Espanca, se entrecruzam em sua poesia e contribuem para o processo pelo qual, por meio da linguagem, a poética florbeliana assume um status de escrita sedutora. Da mesma forma, procuraremos entender como o tema do desejo em Gilka Machado vê-se sempre ameaçado e sofrendo o interdito do pudor.


Palavras-chave


literatura erótica; autoria feminina; sedução; repressão; Gilka Machado; Florbela Espanca

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.54798



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil