EXÍLIO E ERRÂNCIA: REFLEXÕES SOBRE A VIAGEM NOS DISCURSOS DE GAROTAS DE PROGRAMA

Mirielly Ferraça, Marcela Verônica da Silva

Resumo


Sob uma perspectiva discursiva e literária, visa-se estabelecer uma relação entre a garota de programa e o conceito de viagem. Além de uma associação que compreende o viés literário e metafórico, empreende-se, a partir de entrevistas realizadas com profissionais do sexo, uma análise discursiva, buscando examinar enunciados que evidenciem a possível tentativa de passagem da marginalidade para lugares aceitos, valorizados socialmente. Assim, o tema do artigo gira em torno da viagem física, o lugar efetivamente ocupado pelas garotas de programa e a tentativa de sair da “noite”, e da viagem metafórica, indicadora da incompletude e da dualidade do ser. Diante da análise, objetiva-se estabelecer uma reflexão sobre a prostituição como condição fronteiriça: a zona, que divide marginalidade e inserção social.



Palavras-chave


viagem, garota de programa, linguística, literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.53768



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil