Visão arquitetônica epopeica e estrutura romanesca em O Retrato de Érico Veríssimo

Angela Maria Rubel Fanini, Márcio Brunetti

Resumo


Este artigo analisa as construções discursivas sobre o universo do trabalho no romance O Retrato, do escritor Érico Veríssimo, fundamentando-se em uma perspectiva bakthiniana que percebe a linguagem literária romanesca em sua interrelação com a cultura e a história. Investigou-se como os discursos que compõem o romance constituem uma certa visão de mundo sobre a sociedade estilizada na obra. Percebeu-se que há uma formalização positiva do contexto rio-grandense vinculado ao passado mediante uma arquitetônica epopeica e uma construção crítica do mesmo cenário, entretanto ligado ao presente. O romance em tela não reflete a realidade rio-grandense, mas a representa e modela a partir de uma visão exclusiva.


Palavras-chave


: Romance nacional; Universo do Trabalho; Análise dialógica da linguagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.52452



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil