AS ARTES DE AMAR: UM PALIMPSESTO DE JÚLIO CÉSAR DA SILVA

Samanta Rosa Maia

Resumo


Com este trabalho pretende-se, primeiramente, revelar relações transtextuais pertinentes em torno da obra “Arte de Amar” de Júlio César da Silva, escritor brasileiro da virada do século XIX e do início do século XX, arriscando uma classificação dessas relações a partir da tipologia fornecida por Gerard Genette, em “Palimpsestes: La littérature au second degré”. A referência evidente é a obra homônima do poeta latino Ovídio, a qual se tomará como base para uma análise das afinidades entre as obras. Buscar-se-á correspondências extrínsecas a esse contato que nos permitam, através da apresentação das reflexões de Genette, oferecer uma leitura mais ampla de hipertextualidade.


Palavras-chave


"A arte de amar"; Júlio César da Silva; Hipertextualidade; Ovídio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.46049



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil