O DIÁRIO DE RUTKA – INFÂNCIA, VESTÍGIOS, LEMBRANÇAS

Jacques Fux, Fernanda Coutinho

Resumo


Este trabalho busca discutir a literatura como um espaço da lembrança, espaço em que vestígios de tempos passados, resíduos, rastros e testemunhos memoriais corporificam-se, através das palavras, criando um diálogo potencial com a História. Tendo em vista a problematização proposta, partimos da hipótese de que, da tensão criada entre o vivido e o narrado, origina-se outra tensão, a qual se pauta na negociação entre os discursos da Literatura e o da História. Pretendemos, portanto, verificar de que maneira essas duas instâncias de percepção do mundo podem, a partir do relato de guerra do diário de uma adolescente, entrar em colaboração, para desvelar o real ou o verossímil de acontecimentos marcados pela barbárie e a forma como chegaram às gerações seguintes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.42956



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil