“SÓ TEM PEPSI, PODE SER?” O FUNCIONAMENTO DO OPERADOR ARGUMENTATIVO SÓ NAS PROPAGANDAS DA PEPSI

Carolina Medeiros Coelho Marques

Resumo


Este estudo dedica-se à análise do uso do operador argumentativo “só” nas propagandas da marca de refrigerante Pepsi divulgadas com o slogan “Pode ser bom. Pode ser muito bom. Pode ser Pepsi.” Ao operador “só”, frequentemente se atribui a função de exclusão ou negação, mas, no contexto em análise, ele exerce uma função restritiva, cujo emprego resulta em um julgamento positivo da informação que aparece seguida a ele, ao contrário do que é esperado. Ou seja, o julgamento negativo que deveria surgir da marca Pepsi devido ao uso do operador “só” parece não se confirmar. Baseamo-nos na teoria dos topoi proposta por Oswald Ducrot a fim de investigar esse uso do operador “só” no contexto apresentado.



Palavras-chave


Operador argumentativo; propaganda; topoi.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.36063



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil