NARCISO FRAGMENTADO: IDENTIDADES GÓTICAS EM ALIAS GRACE, DE MARGARET ATWOOD

Guilherme Copati, Adelaine LaGuardia

Resumo


Através da análise do romance Alias Grace, da escritora canadense Margaret Atwood, objetiva-se demonstrar o funcionamento do maquinário gótico em uma obra da pós-modernidade, evidenciando, em seus aspectos formais, suas estreitas relações com questões de gênero e sexualidade que desautorizam a visão de uma identidade unívoca e coerente. Em Alias Grace, Atwood descreve cenários caracteristicamente góticos, nos quais são encenados eventos escabrosos e sobrenaturais, consoantes com as convenções deste gênero literário. Através da construção de um enredo gótico, a autora retrata o conflito feminino diante da opressão exercida por uma sociedade androcêntrica e elabora a heroína por meio do entrelaçamento de estereótipos de virtude e vício, de onde emerge a visão de uma identidade multifacetada e estrategicamente fluida.


Palavras-chave


Gótico; Identidade; Pós-modernidade; Margaret Atwood

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.35899



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil