SING A BLACK GIRL'S SONG: NTOZAKE SHANGE E O FEMINISMO AFRO-AMERICANO

Júlia Reyes, Adelaine LaGuardia

Resumo


RESUMO: Este artigo tem como objetivo discutir a conexão entre o feminismo norte-americano da segunda onda (do início dos anos 1960 aos anos 1980) e o feminismo negro norte-americano do mesmo período. Como o feminismo norte-americano da segunda onda começou a ser elaborado a partir da perspectiva das feministas brancas, muitas feministas negras redigiram artigos denunciando sua exclusão de antologias e estudos críticos feministas. O Movimento de Teatro Negro dialoga com a comunidade afro-americana. A peça de Ntozake Shange (1946 -), for colored girls who have committed suicide/ when the rainbow is enuf: a choreopoem (1975) emerge em 1975. Dirigindo seu texto para uma platéia feminina negra, Ntozake Shange levanta questões discutidas pelas críticas feministas negras bell hooks e Barbara Smith.

PALAVRAS-CHAVE: Feminismo; Teatro negro; Literatura negra.


Palavras-chave


literatura afro-americana, feminismo, feminismo negro

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.29433



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil