GRAMATIZAÇÃO, IDEOLOGIA E AS RAÍZES DAS TECNOLOGIAS LINGUÍSTICAS

Rodrigo Franklin de Sousa

Resumo


No presente trabalho fazemos alguns apontamentos sobre como o processo de gramatização da língua veio a instaurar um distanciamento na reflexão linguística entre a língua e sua utilização concreta. Argumentamos que esse distanciamento foi efetivado pelo desenvolvimento de tecnologias de apropriação da linguagem que excluem do pensamento linguístico a reflexão sobre os contextos sociais ou situações de enunciação. Propomos que a prevalência destas tecnologias se deve a sua eficácia em descrever as regularidades linguísticas e possibilitar seu domínio instrumental. Ao mesmo tempo, estes processos instauram um apagamento da situação social de utilização da linguagem por meio de um processo ideológico que mascara as reais condições de produção da linguagem e converte a reflexão linguística em instrumento de poder e dominação.


Palavras-chave


gramatização; ideologia; tecnologias linguísticas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.28126



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil