EMANAÇÕES DOS INFERNOS: METÁFORAS DA (DES)CONSTRUÇÃO NA POESIA CARLOS DE OLIVEIRA

Tatiana Prevedello

Resumo


A proposta da presente reflexão, cujo objeto de análise é o texto Descida aos Infernos, de Carlos de Oliveira, procura compreender, no contexto da poesia portuguesa contemporânea, possíveis vínculos entre o trabalho lírico do autor e sua agência política. Ao nos voltarmos para um poema que dialoga intertextualmente com A Divina Comédia, de Dante Alighieri, e o livro bíblico do Apocalipse, em seus movimentos de descenso e ascensão, os quais gravitam em torno das figurações simbólicas do elemento terra, procuramos resgatar o papel da metáfora em suas operações referenciais. Por conseguinte, buscamos verificar como a vinculação do autor ao cânone neo-realista articula as suas representações estéticas ao contexto histórico-político de Portugal e da Europa.

Palavras-chave


Poesia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.25300



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil