ESTÉTICA DA RECEPÇÃO E CÂNON

Ângelo Bruno Lucas de Oliveira

Resumo


Ao longo da História, duas correntes sempre se opuseram na tentativa de interpretar o fenômeno artístico: a que privilegia o autor e a que privilegia a obra. Lançando um olhar crítico sobre essas tendências, o alemão Hans Robert Jauss propõe uma reescritura da História da Literatura com base no leitor. Para ele, uma verdadeira História da Literatura só poderia ser escrita a partir da perspectiva de quem recebe uma obra, ou seja, a partir do processo de recepção. Essa visão põe em cheque o conceito de cânon literário. Frente a essas teorias, este trabalho busca lançar um novo olhar sobre a formação e justificação do cânon, bem como da tradição.


Palavras-chave


recepção, cânon, tradição

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.25207



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil