O TEMPO E O VENTO: ROMANCE HISTÓRICO E ROMANCE POLÍTICO

Donizeth Aparecido dos Santos

Resumo


O artigo apresenta uma análise da especificidade da trilogia “O tempo e o vento”, de Erico Veríssimo, formada pelos romances “O continente” (1949), “O retrato” (1951) e “O arquipélago” (1962), em razão de que muitos críticos literários consideram apenas o primeiro romance como histórico e não a trilogia como um todo. Partindo dessa problemática, reflete-se sobre a especificidade de “O retrato” e “O arquipélago”, concluindo-se que os dois romances quando analisados em separado de “O continente” perdem a condição de romance histórico e se tornam romances políticos devido à contemporaneidade e à predominância das ideias políticas em suas páginas, mas, quando analisados juntos, verifica-se que a trilogia possui todas as principais características do romance histórico e, por isso, deve ser considerada como tal.


Palavras-chave


Literatura Brasileira; Romance histórico; Romance político; erico verissimo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.25205



Direitos autorais

 

Indexadores: 

      

 

 

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil