NOTÍCIAS DO CAMPO E DA CIDADE: A FONTE JORNALÍSTICA EM O RETRATO E O ARQUIPÉLAGO

Márcio Miranda Alves

Resumo


Ao escrever o romance O Tempo e o Vento, Erico Verissimo baseou-se em diversas fontes para confirmar datas e eventos históricos e, com isso, conferir veracidade à história narrada. Neste processo da criação literária, a transposição de notícias de jornais e revistas para a ficção constitui-se elemento fundamental que garante não somente fidelidade aos eventos históricos, mas também funciona como objeto-síntese das tensões entre campo e cidade no romance. Leitores dessas edições, os personagens assumem determinados posicionamentos que acentuam o distanciamento entre tradição e modernidade, atraso e progresso. A opção do escritor pela fonte da imprensa escrita, que denomino recurso jornalístico, permite a reflexão sobre os acontecimentos da história a partir de uma voz jornalística e influencia diretamente os destinos dos personagens, fornecendo argumentos para a sua formação moral e ideológica. O presente artigo restringe a análise sobre O Retrato e O Arquipélago, segunda e terceira partes da trilogia, nas quais a representação da imprensa e a influência desta sobre a estética do romance favorecem a interpretação de um aspecto singular do quadro histórico ficcional nas primeiras décadas do século XX.

Palavras-chave


Erico Verissimo , O Tempo e o Vento, Jornalismo, Fonte histórica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.25182



Direitos autorais

 

Indexadores: 

   Resultado de imagem para diadorimImagem relacionada   Resultado de imagem para redib

Imagem relacionadaResultado de imagem para capes web qualisResultado de imagem para google acadêmico

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus do Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil