Os deslocamentos da criança no interior do reformulável e sua constituição subjetiva na aquisição da escrita: um olhar pecheutiano

Giovane Fernandes Oliveira

Resumo


Este artigo analisa sequências discursivas de aquisição da escrita à luz da análise do discurso peucheutiana, bem como das reflexões de Indursky (2016) sobre as determinações discursivas da escrita e de Zapelini (2016) sobre a escrita de entremeio. O corpus analítico envolve duas SDs de um menino acompanhado longitudinalmente em sua relação inicial com a escrita. Conclui-se que a aquisição da escrita não se reduz a um processo cognitivo de aprendizagem ou a um processo sociointeracional de uso da língua: trata-se de um processo de transformação simbólica sem início nem fim, pois o sujeito muda sua relação com o escrito a cada nova diferente formação discursiva em que se insere e mesmo no interior de uma única FD.

Palavras-chave


discurso; enunciação; constituição subjetiva; aquisição da escrita.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado (Notas para uma investigação). Lisboa: Editora Presença / Martins Fontes, 1980.

BORGES, Sônia Xavier de Almeida. A aquisição da escrita como processo lingüístico. In: LIER-DEVITTO, Maria Francisca; ARANTES, Lúcia. Aquisição, patologias e clínica de linguagem. 1. ed. São Paulo: EDUC, FAPESP, 2006.

BOSCO, Zelma Regina. A errância da letra: o nome próprio na escrita da criança. Sínteses – Revista dos Cursos de Pós-Graduação, Campinas, v. 11, p. 99-107, 2006. Disponível em: http://revistas.iel.unicamp.br/index.php/sinteses/article/view/163. Acesso em: 19 mai. 2020.

CAPRISTANO, Cristiane Carneiro. Mudanças na trajetória da criança em direção à palavra escrita. 253 f. 2007. Tese de Doutorado (Linguística Aplicada). Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 2007. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/270222. Acesso em: 19 mai. 2020.

DE LEMOS, Cláudia Thereza Guimarães. Sobre a aquisição da escrita: algumas questões. In: ROJO, Roxane (Org.). Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas. 1. ed. 4. reimp. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

INDURSKY, Freda. As determinações da prática discursiva da escrita. Desenredo, v. 12, n. 1, p. 30-47, jan./jun. 2016. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/5954. Acesso em: 19 mai. 2020.

MALDIDIER, Denise. A inquietação do discurso – (re)ler Michel Pêcheux hoje. 1. ed. Campinas: Pontes, 2003.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 3. ed. Campinas: Pontes, 2008.

PÊCHEUX, Michel. Análise automática do discurso. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2014.




DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.103144



Direitos autorais 2020 GIOVANE FERNANDES OLIVEIRA

 

Indexadores: 

      

 

     

 

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)

 

Contato: cadernosdoil@ufrgs.br

 

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Campus Vale

CEP 91501-970

Porto Alegre/RS, Brasil

 

Bolsista (vigência 2020):

Candice Batista de Fraga