Bolchevismo ou maximalismo: uma abordagem terminológica e diacrônica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-6385.102995

Palavras-chave:

Terminologia Diacrônica, Socioterminologia, bolchevismo, maximalismo.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo descrever e analisar o emprego do termo bolchevismo e de suas variantes no momento de sua introdução e início de sua circulação no Brasil (1917-1920). Para tanto, adotamos a ótica da Terminologia Diacrônica em conjunto com a Socioterminologia Variacionista. Utilizamos como fonte os registros jornalísticos reunidos em O Ano Vermelho (MONIZ BANDEIRA; MELO; ANDRADE, 1980) e o acervo de jornais da Hemeroteca Digital Brasileira com o intuito de verificar em que categorias de variantes do constructo de Faulstich (2001) os termos se inserem. Através da análise das variantes, concluímos que a variação, de ordem competitiva, foi suprimida pela necessidade de definição do conceito, o que levou à consagração do termo bolchevismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Zogbi Lontra da Conceição, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Estudos da Linguagem, linha de pesquisa Lexicografia, Terminologia e Tradução: Relações Textuais, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bacharela em Letras - Tradutor Português e Francês (2013-2019) pela mesma Universidade. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Referências

ALVES, Ieda Maria. Socioterminologie. Une approche sociolinguistique de la terminologie. Tradterm, São Paulo, n. 9, p. 229-232, dez. 2003.

AUGER, Pierre. Le phénomène de l’anglicisation de la langue forestière au Québec: essai de socioterminologie diachronique. In: CANDEL, Danielle; GAUDIN, François. (orgs.). Aspects diachroniques du vocabulaire. Mont-Saint-Aignan: Publications des Universités de Rouen et du Havre, 2006. p. 137-156.

BARBOSA, Ruy. Pelos soldados da Democracia. Bahia Illustrada, Rio de Janeiro, ano 2, n. 12, p. 11-12, 12 nov. 1918. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=066940&pesq=maximalismo. Acesso em: 16 fev. 2020.

BARTZ, Frederico Duarte. O maximalismo como problema: circulação e apropriação da ideia de bolchevismo no movimento operário brasileiro durante os primeiros anos da Revolução Russa. Izquierdas, Santiago, n.31, p. 235-248, dez. 2016.

BNDIGITAL. A Noite, Rio de Janeiro, ano 8, n. 2.529, p. 1, 28 dez. 1918a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=348970_01&pasta=ano%20191&pesq=bolshevikismo&pagfis=14145. Acesso em: 4 ago. 2020.

BNDIGITAL. O Combate, São Paulo, ano 3, n. 800, p. 1, 7 jan. 1918b. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=830453&pesq=maximista&pasta=ano%20191. Acesso em: 1º mar. 2020.

BNDIGITAL. Correio Paulistano, São Paulo, n. 20.299, p. 4, 6 jan. 1920. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=090972_07&pesq=bolshevista&pasta=ano%20192. Acesso em: 1º mar. 2020.

BNDIGITAL. Hemeroteca Digital Brasileira. 2020. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/. Acesso em: 16 fev. 2020.

CANDEL, Danielle; GAUDIN, François. (orgs.). Aspects diachroniques du vocabulaire. Mont-Saint-Aignan: Publications des Universités de Rouen et du Havre, 2006.

DURY, Pascaline; PICTON, Aurélie. Terminologie et diachronie: vers une réconciliation théorique et méthodologique? Revue française de linguistique appliquée, Paris, vol. 14, n. 2, p. 31-41, 2009.

DURY, Pascaline; DROUIN, Patrick. L’obsolescence des termes en langues de spécialité : une étude semi-automatique de la « nécrologie » en corpus informatisés, appliquée au domaine de l’écologie. Aarhus: Aarhus University, 2010.

FAULSTICH, Enilde. Principes formels et fonctionnels de la variation en terminologie. Terminology, Amsterdam, v.5, n.1, p. 93-106, 1998.

FAULSTICH, Enilde. Aspectos de Terminologia geral e Terminologia variacionista. TradTerm, São Paulo, n.7, p. 11–40, 2001.

GAUDIN, François. Socioterminologie : du signe au sens, construction d’un champ. Meta, Montréal, v. 38, n. 2, p. 293-301, 1993.

GAUDIN, François. Quelques mots sur la socioterminologie. Cahiers du RIFAL, Bruxelas, n. 26, p. 26-35, 2007.

HERMANS, Ad. Terminologie diachronique. Actes du colloque organisé à Bruxelles les 25 et 26 mars 1988. Meta, Montréal, vol. 36, n. 4, p. 678-680, 1991.

HOUAISS ELETRÔNICO. São Paulo: Editora Objetiva, 2009.

KRIEGER, Maria da Graça; MACIEL, Anna Maria Becker (Org.). Temas de terminologia. São Paulo/ Porto Alegre: Ed. Universidade/ UFRGS/ Humanitas/USP, 2001.

LONTRA DA CONCEIÇÃO, Fabiana Zogbi. O discurso leninista (1902-1918): levantamento terminológico. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras) - Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2019.

MACEDO, Cristian Cláudio Quinteiro. A arte da tradução: um breve exercício de terminologia diacrônica. Cadernos do IL, Porto Alegre, n. 59, p. 255-270, out. 2019.

MALDONADO, Luccas Eduardo. O Ano Vermelho: entre 50 e 100 anos. Lutas Sociais, São Paulo, v. 21, n. 38, p. 208-211, 2017.

MARENGO, Sandro Márcio Drumond Alves. Variações terminológicas e diacronia: estudo léxico-social de documentos manuscritos militares dos séculos XVIII e XIX. 2016. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2016.

MONIZ BANDEIRA, Luiz Alberto; MELO, Clóvis; ANDRADE, Aristélio Travassos. O Ano Vermelho: a revolução russa e seus reflexos no Brasil. 2ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1980.

REIS FILHO, Daniel Aarão. A revolução de mudou o mundo: Rússia, 1917. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

SODRÉ, Nelson Wernerck. Uma contribuição importante. In: MONIZ BANDEIRA, Luiz Alberto; MELO, Clóvis; ANDRADE, Aristélio Travassos. O Ano Vermelho: a revolução russa e seus reflexos no Brasil. 2ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1980. p. 9-11.

SOUZA, Ivan Pereira de. Do engenho à usina: estudo diacrônico da terminologia do açúcar. 2007. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2007.

VOLÓCHINOV, Valentin. A palavra na vida e a palavra na poesia. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2019.

WEILL, Claudie. À propos du terme « bolchevisme ». Cahiers du monde russe et soviétique, vol. 16, n. 3-4, p.353-263, jul.-dez. 1975.

Downloads

Publicado

2020-09-23

Como Citar

CONCEIÇÃO, F. Z. L. da. Bolchevismo ou maximalismo: uma abordagem terminológica e diacrônica. Cadernos do IL, [S. l.], n. 61, p. 83–108, 2020. DOI: 10.22456/2236-6385.102995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/cadernosdoil/article/view/102995. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos de estudos linguísticos