O Ministério das putas: como a AMMAR se articula com o Estado durante a pandemia

Penélope Serafina Chaves Bruera, Lisbeth Juliana Monroy Ortiz, Verónica Acuña Avilés, Gastón Cosentino

Resumo


O artigo, resultado da pesquisa realizada por Agustina Paz Frontera, com Bolsa da Fundación Gabriel García Márquez para el Nuevo Periodismo Iberoamericano e Solutions Journalism Network, narra o desenvolvimento de ações políticas da Asociación de Mujeres Meretrices de Argentina (AMMAR) durante o período da quarentena pelo Covid-19, que impactou gravemente as/os/es trabalhadoras/es informais e, especificamente, as/os/es trabalhadoras/es sexuais, tanto argentinas/os/es quanto migrantes. No estilo da crônica, o artigo descreve as maneiras que o movimento político AMMAR, que nasceu como uma organização sindical, articulou-se com o Estado para conseguir apoiar as/os trabalhadoras/es precarizadas/os durante o lockdown na Argentina. Isso exibe a importância decisiva que têm as organizações sociais para mediar períodos de crise.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Cadernos de Tradução