A ARQUITETURA DO TRAUMA: UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ÀS CONSTRUÇÕES DA MEMÓRIA NA LITERATURA LATINO-AMERICANA PÓS-DITADURA

Alice Donahue

Resumo


Resumo: Este artigo apresenta uma análise literária comparativa de dois romances, K. (2011), do autor brasileiro Bernardo Kucinski, e Perla (2013), da autora uruguaia Carolina de Robertis. Tanto K. quanto Perla se concentram na memória pós-ditadura no Brasil e na Argentina, respectivamente. Focaliza-se especificamente o uso da casa como um símbolo para a memória individual e a cidade como um símbolo para a memória coletiva. Argumenta-se que, à medida que esses símbolos aparecem ao longo de cada romance, evocam as realidades históricas das práticas da justiça de transição pós-ditadura de cada país. Em última análise, este artigo ilustra como esses dois romances, bem como a literatura em geral, podem refletir processos da justiça de transição, direitos humanos e memória, mas também podem ser, em si mesmos, formas de memória.

Palavras-chave: Direitos humanos; justiça de transição; memória; literatura comparada

 

Abstract: This article presents a comparative literary analysis of two novels, K. (2011), written by Brazilian author Bernardo Kucinski, and Perla (2013), by Uruguayan author Carolina de Robertis. Both K. and Perla focus on post-dictatorship memory in Brazil and Argentina, respectively. It specifically focuses on the use of the house as a symbol for individual memory and the city as a symbol for collective memory. It argues that the extent to which these two symbols appear throughout each novel evokes the historical realities of post-dictatorship transitional justice practices of each country. Ultimately, this article illustrates how these two novels, as well as literature in general, can reflect processes of transitional justice, human rights, and memory, but can also themselves be forms of memory.

Key words: Human rights; transitional justice; memory; comparative literature


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.