Geografia da mortalidade perinatal no Rio Grande do Sul/Brasil (2000-2014)

Lucas Mauricio Willecker dos Santos, Franciele da Silva

Resumo


A mortalidade perinatal é um dos maiores desafios das políticas públicas no Brasil e no mundo. Porém, embora seja relativamente dependente dos fatores sociais e territoriais, são ainda poucos os estudos geográficos desse indicador. Por isso, o presente trabalho buscou compreender a distribuição geográfica da mortalidade perinatal em um período de quinze anos (2000 a 2014) no estado do Rio Grande do Sul. O estudo foi feito ao nível das microrregiões do estado e os procedimentos metodológicos divididos em três fases principais, a saber: levantamento bibliográfico em autores das ciências da saúde e da geografia, coleta e modelagem dos dados obtidos através do Departamento de Informações do Sistema Único de Saúde e análise espacial do indicador com inserção em Sistema de Informação Geográfica (SIG). Observou-se que o estado do Rio Grande do Sul apresenta uma taxa de mortalidade perinatal (TMP) inferior aos demais estados do Brasil. Porém, ao nível das microrregiões ainda há grandes desigualdades regionais. Houve uma significativa na redução da TMP, mas em alguns locais essa taxa apresentou um aumento ou, em outros, foi uma redução pouco significativa. Portanto, se observa que ainda são necessárias políticas públicas que se atentem aos casos de mortalidade perinatal no RS, principalmente nas microrregiões da fronteira oeste do estado, com a finalidade de promover uma maior redução no número de óbitos.

Palavras-chave


Mortalidade Perinatal. Indicador. Rio Grande do Sul. Análise Espacial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address: Lobo da Costa, 147 - 90050110

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br