Características e desafios do ensino de geografia em área de fronteira: considerações a partir do município de Coronel Sapucaia (MS)

Márcio Marques ROSA, Flaviana Gasparotti NUNES

Resumo


Diante da diversidade cultural existente em áreas de fronteira, é necessário que estados fronteiriços, como Mato Grosso do Sul, contemplem em seus currículos e projetos educacionais elementos ou propostas que atendam às especificidades das comunidades fronteiriças. Partindo deste entendimento, neste texto, procuramos desenvolver algumas reflexões sobre esta problemática, destacando as especificidades das áreas fronteiriças, suas implicações e desafios para a escola e, particularmente, para o ensino de Geografia. As reflexões aqui apresentadas são resultantes de uma pesquisa em nível de mestrado cujo objetivo foi identificar e analisar as características do ensino de Geografia no município fronteiriço de Coronel Sapucaia, Mato Grosso do Sul, fronteira seca com a cidade paraguaia de Capitán Bado. A pesquisa envolveu procedimentos como revisão bibliográfica, visitas às escolas públicas do município de Coronel Sapucaia, entrevistas semiestruturadas com coordenadores pedagógicos, professores de Geografia, alunos e pais de alunos. Concluímos que é de grande relevância a construção de uma perspectiva intercultural como fundamento para as práticas educativas nas escolas de fronteira. Todavia, a construção de uma perspectiva intercultural para o ensino em áreas de fronteira não deve estar apenas restrita a documentos oficiais, como, por exemplo, um referencial curricular ou propostas educativas, deve ultrapassar tais documentos e se dinamizar como uma perspectiva de compreensão e construção das práticas docentes.


Palavras-chave


Interculturalidade; Fronteira; Ensino de Geografia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address: Lobo da Costa, 147 - 90050110

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br