Análise da paisagem aplicada à caracterização e planejamento ambiental da mata ciliar no trecho urbano do Rio Apodi-Mossoró (Mossoró/RN-Brasil)

Autores

  • Anderson Adailson SILVA Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/UERN, Faculdade de Ciências Exatas e Naturais – FANAT. Aluno do Mestrado em Ciências Naturais – MCN.
  • Diógenes Félix da Silva COSTA Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Laboratório de Ecologia de Semiárido / Professor do Departamento de Geografia.
  • Alfredo Marcelo GRIGIO Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/UERN, Núcleo de Estudos Sócio Ambientais / Professor do Departamento de Gestão Ambiental.
  • Renato de Medeiros ROCHA Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Laboratório de Ecologia de Semiárido / Professor do Departamento de Geografia.

Palavras-chave:

Planejamento Ambiental, Paisagem, Análise da Paisagem, Rio Apodi-Mossoró.

Resumo

As matas ciliares ocupam as áreas mais dinâmicas da paisagem, tanto em termos hidrológicos, como ecológicos e geomorfológicos, estando intimamente ligadas ao curso d'água, cujos limites laterais se estenderiam até o alcance da planície de inundação. O objetivo deste trabalho foi realizar um zoneamento ambiental das áreas degradadas às margens do Rio Apodi-Mossoró, no trecho urbano da cidade de Mossoró (RN). Para atingir este objetivo, os dados foram manipulados em ambiente de Sistema de Informações Geográficas (SIG), o qual viabilizou uma análise integrada da paisagem nas áreas, tendo como parâmetro base, o uso e cobertura do solo. A classificação de uso e ocupação do solo apresentou uma predominância da classe “solo exposto” (46,81%), a qual foi enquadrada no zoneamento como zona para recuperação. Quanto à necessidade de intervenção, a classe de necessidade extrema foi evidenciada em setores que apresentaram de 35,25% a 55%. Através de classificação da cobertura e uso do solo em fragmentos escolhidos sistematicamente ao longo das margens do rio, e posterior conversão destes dados, foi possível realizar a identificação de áreas prioritárias para a intervenção governamental com base no zoneamento. O trecho em análise encontra-se fragmentado e com altos níveis de necessidade de intervenção, configurando, assim, como uma área que necessita de uma atenção especial, quanto a sua gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Adailson SILVA, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/UERN, Faculdade de Ciências Exatas e Naturais – FANAT. Aluno do Mestrado em Ciências Naturais – MCN.

Graduado em Geografia Bacharelado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Aluno do Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Ciências Naturais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Atualmente trabalha com o uso de Geotecnologia e Sensoriamento Remoto para aplicações ambientais, com ênfase nos seguintes temas: recuperação de áreas degradadas; mapeamento; ecologia da paisagem.

Diógenes Félix da Silva COSTA, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Laboratório de Ecologia de Semiárido / Professor do Departamento de Geografia.

Graduado em Geografia (Bel. e Lic.) e Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Doutor em Ecologia, Biodiversidade e Gestão de Ecossistemas na Universidade de Aveiro (Portugal). Professor efetivo do Depto. de Geografia da UFRN (Campus de Caicó). Tem experiência nas áreas de Geoecologia de ecossistemas costeiros e Fitogeografia, atuando principalmente nos seguintes temas: ecologia de zonas úmidas costeiras (salinas solares, manguezal e ambientes estuarinos); educação ambiental; manejo e gestão de Unidades de Conservação.

Alfredo Marcelo GRIGIO, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte/UERN, Núcleo de Estudos Sócio Ambientais / Professor do Departamento de Gestão Ambiental.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2000), mestrado em Geodinâmica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003) e doutorado em Geodinâmica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2008). Atualmente é professor Adjunto II da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Sistema de Informação Geografia e Sensoriamento Remoto, atuando principalmente nos seguintes temas: sistema de informação geográfica, Gestão Ambiental, bacia hidrográfica, sensoriamento remoto, análise multitemporal, diagnósticos ambientias, zoneamento ambiental, recursos Naturais e planejamento ambiental.

Renato de Medeiros ROCHA, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Laboratório de Ecologia de Semiárido / Professor do Departamento de Geografia.

Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, especialista em Ecologia Marinha e Artemia pela University of Gent (Bélgica), doutor em Biotecnologia em Recursos Naturais pela Rede Nordestina de Biotecnologia. Atualmente é Professor Associado I da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, coordenador do Laboratório de Ecologia do Semiárido (LABESA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e membro do Grupo de Pesquisa Estudos Geoambientais do Semiárido . Tem experiência na área de Ecologia Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: Artemia, microalgas halofílicas, ecologia de ambientes hipersalinos, impactos ambientais e Projetos de Recuperação de Áreas Degradadas

Downloads

Publicado

2015-02-03

Edição

Seção

Artigos