Aspectos da formação da fronteira na Amazônia setentrional (1943-1994) - o Estado do Amapá

Jadson Luís Rebelo PORTO

Resumo


A diminuição da produção e da comercialização da borracha e a preocupação com a proteção das regiões fronteiriças que apresentassem o chamado vazio demográfico, contribuíram para serem criados os Territórios Federais na Amazônia como um mecanismo que visou estimular a integração nacional, como também, intensificar o comércio com os países vizinhos, a ocupação de áreas lindeiras, sob a justificativa de "interesse da defesa nacional", embasadas nas diretrizes indicadas pelo Governo Central sobre suas organizações espacial, fiscal, social e política. Das várias estratégias de desenvolvimento a eles sugeridos, destacam-se a exploração do seu potencial natural e, mais recentemente, o incentivo ao setor comercial sobre o mercado regional mediante a atuação de Áreas de Livre Comércio.

Este trabalho objetiva identificar os processos de formação da fronteira setentrional da Amazônia após a década de 1940, expondo a experiência do Estado do Amapá, embasado na sua dinâmica política (enquanto Território Federal e após a sua transformação em Estado), na sua fragmentação espacial e na sua organização geoeconômica.


Palavras-chave


Aspectos, formação, fronteira, Amazônia setentrional, Estado do Amapá

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address: Lobo da Costa, 147 - 90050110

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br