A estrutura territorial do Estado do Rio Grande do Sul -gênese e construção

Aldomar Arnaldo RÜCKERT

Resumo


O artigo analisa a implantação da estrutural territorial, suas redes e nós estratégicos no Rio Grande do Sul por ações do poder unidimensional do Estado, nas escalas nacional e estadual, nos longos períodos do império e república. Enfatiza-se o desenvolvimentismo nacional e a centralização federal das políticas de estruturação territorial a partir da Revolução de 30. Nas décadas de 50 a 60, trata-se do desenvolvimentismo estadual através de estratégias do tipo pólo industrial e as correspondentes ações de estatização dos serviços de telecomunicações e de energia elétrica. A estratégia de segurança nacional e os Planos Nacionais de Desenvolvimento (PNDs) dos governos militares destinam ao Rio Grande do Sul a função de território de segurança e de exportador de commoditties, ampliando, para tanto, as capacidades das redes rodoviárias, de energia elétrica, de telecomunicações e do Superporto de Rio Grande. Com a crise do Estado desenvolvimentista, emerge, na década de 90, o dilema de caráter estratégico no que tange às novas funções do estado do Rio Grande do Sul e sua estrutura territorial sob a integração competitiva de mercados.


Palavras-chave


estrutura territorial; centralização federal; Estado Desenvolvimentista

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address:Rua Uruguai nº 35 sala 426, Centro

CEP: 90010-140 

Porto Alegre - RS - Brasil

Telefone / Phone: 55 51 3019-8190 

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br