Distribuição espacial dos municípios emergentes do processo emancipatório. Evolução da territorialidade municipal: algumas considerações

Susana Salum RANGEL, Euripedes Falcão VIEIRA, Michelle Rodrigues NÓBREGA, Flávia Cristiane FARINA

Resumo


Este artigo discute a expansão das unidades político-administrativas municipais na territorialidade rio-grandense e as motivações etnográficas, econômicas, sociais e políticas determinantes. A pesquisa realizada caracteriza-se como estudo de caso exploratório. Os dados foram coletados nos censos do 18GE, na Comissão de Assuntos Municipais da Assembléia Legislativa e em análise documental de trabalhos da FEE. O estudo das razões emancipacionistas objetivou a análise do deslocamento da concentração político-populacional da metade sul para a metade norte do Estado. Tal deslocamento, tomado como causa e efeito ,mais o principal eixo de concentração industrial delinearam as macrorregiões Norte, Nordeste e Sul, caracterizadas por desigual desenvolvimento. A análisedos dados foi realizada de forma eminentemente qualitativa, com o uso da técnica de análise de agrupamento. Os resultados mostram que as mudanças na reorganizaçãodo espaço, na distribuição das unidades políticas municipais, na concentraçãoda população e das indústrias em determinada região são resultantesdos processos históricos ligados aos fluxos migratórios e dos modelos de organização inicial da produção e da posterior reestruturação e modernização do espaçoprodutivo.

Palavras-chave


distribuição espacial; municípios emergentes; processo emancipatório; territorialidade municipal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address: Lobo da Costa, 147 - 90050110

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br