Do cuidado, que devem ter os pays dos mininos defuntos: preservação da infância e conselhos espirituais do padre jesuíta Alexandre de Gusmão, século 17 - The care that should be the parents of the deceased boys: preservation of childhood and spiritual advice of Jesuit priest Alexandre de Gusmão, 17th century

Fernando Cezar Ripe, Mauro Dillmann, Brasil

Resumo


O presente artigo examina as prescrições realizadas pelo padre jesuíta português Alexandre de Gusmão (1629-1724) sobre os cuidados que os pais deveriam ter na educação e na proteção espiritual de seus filhos, principalmente na ocasião da sua morte, na obra Arte de crear bem os Filhos na idade da Puericia (1685). A análise privilegia os elementos que constituíram as práticas de preservação da infância, os perigos iminentes de morte infantil, os conselhos espirituais relacionados aos cuidados com os pequenos defuntos e as atribuições de culpa aos pais que eram negligentes na educação de seus filhos. Escrito no contexto cristão luso-brasileiro do século 17, as prédicas de Gusmão podem ser entendidas como determinado modelo pedagógico e assistencial para a infância.

Palavras-chave: morte, infância, Alexandre de Gusmão, educação.


THE CARE THAT SHOULD BE THE PARENTS OF THE DECEASED BOYS: PRESERVATION OF CHILDHOOD AND SPIRITUAL ADVICE OF JESUIT PRIEST ALEXANDRE DE GUSMÃO, 17TH CENTURY

Abstract

This article examines the provisions made by the Portuguese Jesuit priest Alexandre de Gusmão (1629-1724) on the care that parents should have in education and spiritual protection of their children, especially at the time of his death, the work Arte de crear bem os filhos na idade da puericia (1685). The analysis will focus on the elements that constituted the childhood conservation practices, the imminent dangers of child death, the spiritual advice related to the care of the dead boys and assignments of blame to parents who were negligent in their children's education. Written in portuguese-brazilian christian seventeenth-century context, Gusmão preachings can be understood as a certain pedagogical and care model for children.

Key-words: death, childhood, Alexandre Gusmão, education.


EL CUIDADO QUE DEBERÍAN TENER LOS PADRES DE LOS NIÑOS FALLECIDOS: LA PRESERVACIÓN DE LA INFANCIA Y EL ASESORAMIENTO ESPIRITUAL DEL JESUITA  SACERDOTE ALEXANDRE DE GUSMÃO, SIGLO 17

Resumen

Este artículo examina las disposiciones hechas por el sacerdote jesuita portugués Alexandre de Gusmão (1629-1724) sobre la atención que los padres deben tener en la educación y la protección espiritual de sus hijos, especialmente en el momento de su muerte, en la obra Arte de crear bem os filhos na idade da puericia (1685). El análisis se centrará en los elementos constitutivos de las prácticas de conservación de la infancia, los peligros imminentes de la muerte del niño, el consejo espiritual relacionado con el cuidado de los chicos muertos y asignaciones de culpa a los padres que fueron descuidados en la educación de sus hijos. Escrito en el contexto del siglo 17 portugués cristiano-brasileña, predicaciones Gusmão pueden entenderse como un determinado modelo pedagógico y el cuidado de los niños.

Palabras-clave: la muerte, la infancia Alexandre Gusmão, educación.

 

LES SOINS QUI DEVRAIENT ÊTRE LES PARENTS DES GARÇONS DÉCÉDÉS: LA PRÉSERVATION DE L'ENFANCE ET SPIRITUEL PRÊTRE CONSEIL JÉSUITE ALEXANDRE DE GUSMAO, 17E SIÈCLE

Résumé

Cet article examine les dispositions prises par le prêtre jésuite portugais Alexandre de Gusmão (1629 à 1724) sur les soins que les parents devraient avoir dans l'éducation et la protection spirituelle de leurs enfants, en particulier au moment de sa mort, le travail Arte de crear bem os filhos na idade da puericia (1685). L'analyse faveurs sur les éléments qui constituent les pratiques de conservation de l'enfance, les dangers imminents de la mort de l'enfant, les conseils spirituels liés à la prise en charge des garçons morts et les affectations de blâme aux parents qui ont fait preuve de négligence dans l'éducation de leurs enfants. Écrit dans le contexte du 17e siècle chrétien portugais-brésilien, prédications Gusmão peuvent être compris comme un certain modèle pédagogique et de soins pour les enfants.

Mots-clé: la mort, enfance, Alexandre Gusmão, education.


Texto completo:

PDF

Referências


ANCHIETA, José de S. J. Cartas: correspondência ativa e passiva - v. 6. São Paulo: Loyola, 1984.

ARAÚJO, Ana Cristina. A morte em Lisboa: atitudes e representações (1700-1830). Lisboa: Notícias, 1997.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

ARNAUT DE TOLEDO, Cezar de Alencar; ARAÚJO, Vanessa Freitag de. Educação e religião na obra Arte de criar bem os filhos na idade da puerícia, de Alexandre de Gusmão, de 1685. SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS, 8, 2009. Anais ... Campinas: Unicamp, 2009.

ARNAUT DE TOLEDO, Cezar de Alencar; BARBOZA, Marcos A. Fundamentos da educação cristã no Brasil colonial no século 17. In: TOLEDO, Cézar de Alencar Arnaut de; RIBAS, Maria Aparecida de Araújo Barreto; SKALINSKI JUNIOR, Oriomar (org.). Origens da educação escolar no Brasil colonial. Maringá: UEM, 2015, v. 3, p. 13-40.

BADINTER, Elizabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BARBOSA, Maria Hermínia Vieira. Crises de mortalidade em Portugal desde meados do século XVI até ao início do século XX. Guimarães: Núcleo de Estudos de População e Sociedade Universidade do Minho, 2001.

BRAUDEL, Fernand. Civilização material e capitalismo, séculos XV-XVIII. Lisboa: Cosmos, 1970.

CALAINHO, Daniela Buono. Houve queimas de bruxas e autos de fé por aqui? Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 2001, p. 23.

CORAZZA, Sandra. História da infância sem fim. Ijuí: Unijuí, 2004.

COSME, João. A consciência sanitária em Portugal nos séculos XVIII-XIX. CEM Cultura, Espaço & Memória: revista do Citcem, n. 5, 2014, p. 45-62.

FERNANDES, Rogério; KUHLMANN JÚNIOR, Moysés. Sobre a história da infância. In: FARIA FILHO, Luciano Mendes (org.). A infância e sua educação: materiais, práticas e representações. Belo Horizonte: Autêntica, 2004, p. 15-34.

FERREIRA, António; GONDRA, José. Idades da vida, infância e a racionalidade médico: higiénica em Portugal e no Brasil (séculos XVII-XIX). In: LOPES, Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; FERNADES, Rogério (orgs.). Para a compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 127-146.

FIGUEIREDO, Luciano R. L. Apresentação: como era perverso o meu francês. In: FRANCO, Renato. A piedade dos outros: o abandono de recém-nascidos em uma vila colonial, século 18. Rio de Janeiro: FGV, 2014, p. 13-22.

FLECK, Eliane Cristina Deckmann; DILLMANN, Mauro. Se viveres como louco, sabes que hás de morrer sem juízo: as orientações para o bem morrer na literatura cristã portuguesa do século XVIII. Revista Brasileira de História, São Paulo, p.183-206, 2015.

FRANCO, Renato. A piedade dos outros: o abandono de recém-nascidos em uma vila colonial, século 18. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

FREITAS, César Augusto Martins Miranda de. Alexandre de Gusmão: da literatura jesuíta de intervenção social. Porto: Universidade do Porto, 2011. 517f. Tese (doutorado em Literaturas e Culturas Românicas). Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Record, 1994.

GARCÍA, Arturo Morgado. Demonios, magos y brujas em la España moderna. Cádiz: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Cádiz, 1999.

GÉLIS, Jacques. A individualização da criança. In: ARIÈS, Philippe; CHARTIER, Roger. História da vida privada. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 305-320.

GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no Império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

GUSMÃO, Alexandre de. Arte de crear bem os filhos na idade da puericia, dedicada ao Minino de Belém, JESU Nazareno. Lisboa: Officina de Miguel Deslandes, 1685.

GUSMÃO, Alexandre de. Arte de crear bem os filhos na idade da puericia, Dedicada ao Menino de Belém Iesu Nazareno. In: GHIGGI, Gomercindo; TAMBARA, Elomar (org.). Séries clássicos de história e filosofia da educação. Pelotas: Seiva, 2000.

GUSMÃO, Alexandre de. Arte de criar bem os filhos na idade da puerícia - dedicada ao Menino de Belém Iesu Nazareno. Edição, apresentação e notas Renato Pinto Venâncio, Jânia Martins Ramos. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

KULLMANN JR., Moysés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 2015.

LEITE, Miriam L. Moreira. A infância no século XIX segundo memórias e livros de viagem. In: FREITAS, Marcos Cezar de (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2011, p. 19-52.

LEITE, Serafim. A história da Companhia de Jesus no Brasil. São Paulo: Loyola, 2004.

O’NEILL, Charles E; DOMÍNGUEZ, Joaquim María. Diccionnario histórico de la Compañía de Jesús: bibliográfico-temático, v. II. Roma: Institutum Historicum; Madrid: Universidad Pontifícia Comillas, 2001.

PAIVA, José Pedro. Bruxaria e superstição num país sem caça às bruxas 1600-1774. Lisboa: Notícias, 1997.

PANCINO, Cláudia; SILVERIA, Lygia. Pequeno demais, pouco demais: a criança e a morte na idade moderna. Cadernos de História da Ciência, Instituto Butantan, v. 5, n. 1, 2010, p. 179-212.

PRIORE, Mary del (org.). História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1999.

PRIORE, Mary del (org.). História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 2007.

QVORTRUP, Jens. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 2, 2010, p. 631-643.

REIS, João José. A morte é uma festa: ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

RODRIGUES, Cláudia. O impacto das leis testamentárias sobre a economia da salvação no Rio de Janeiro colonial. SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26, 2011. Anais ... São Paulo; Anpuh, 2011, p. 1-7.

SANTOS, Cândido. Nota sobre a mortalidade infantil nos séculos 18 e 19. Humanidades: Revista Trimestral da Aeflup, n. 2, p. 47-75, 1982.

SANTOS, Zulmira C. Emblemática, memória e esquecimento: a geografia da salvação e da condenação nos caminhos do prodesse ac delectare na História do Predestinado peregrino e seu irmão Precito (1682) de Alexandre de Gustmão SJ [1629-1724], 2004. Disponível em . Acesso em 4 out. 2015.

SANTOS, Zulmira C. Entre a doutrina e a retórica: os tratados sobre os quatro novíssimos (1622) de frei António Rosado O. P. Revista Faculdade de Letras, Porto, p. 161-172, 1997.

VAILATI, Luiz Lima. A morte menina: infância e morte infantil no Brasil dos oitocentos. São Paulo: Alameda, 2010.

VAILATI, Luiz Lima. A última morada da infância: representações e transformações dos lugares de sepultamento infantis nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, v. 1, p. 291-306, 2014.

VAILATI, Luiz Lima. As fotografias de anjos no Brasil do século XIX. Anais do Museu Paulista, v. 14, 2007, p. 51-71.

VAILATI, Luiz Lima. Representações da morte infantil durante o século XIX no Rio de Janeiro e na Inglaterra: um esboço comparativo preliminar. Revista de História (USP), v. 1, 2012, p. 261-294.

VENANCIO, Renato Pinto (org.). Uma história social do abandono de crianças: de Portugal ao Brasil: séculos XVIII-XX. São Paulo: Alameda, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



 

 

====================================================================


REVISTA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO / HISTORY EDUCATION JOURNAL

QUALIS/CAPES 2016: Educação - A1 / Ensino - A1 / História - A2 / Interdisciplinar - A2 / Direito - A2 / Linguística e Literatura - B1 / Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo - B1

ISSN online: 2236-3459

E-mail: rhe.asphe@gmail.com

 

REDES SOCIAIS / SOCIAL NETWORKS

 

                   




INDEXADORES / INDEXERS

 

                  

 

 

 

              

 

 

                    

 

 

 

 

                  

 

 

                       

 

 

                    

 

 

                              

 

 

                    

 

 

                     

 

 

 

PATROCINADORES E APOIADORES / SPONSORS AND SUPPORTERS

 

                            

 

 

              

 

 

 

AGÊNCIAS DE FOMENTO / DEVELOPMENT AGENCIES