DE GRUMETES A KUNUMYS - ESTILOS DE INFÂNCIAS BRASILEIRAS

Christiana Cabicieri Profice (Brasil), Gabriel Henrique Moreira dos Santos (Brasil)

Resumo


Abordamos aspectos sócio-históricos das infâncias brasileiras, compreendidas como resultado da hibridização de diferentes estilos de infância desde a colonização portuguesa. Argumentamos que o primeiro encontro de diferentes estilos se deu com a fuga de dois grumetes da esquadra de Pedro Álvares Cabral, quando aportada em Porto Seguro no primeiro dia de maio de 1500. Desde então se deu um processo de mútuo conhecimento e transformação entre as crianças/jovens que vieram de Portugal e as indígenas locais. Por meio de uma narrativa especulativa desse encontro, que se apoia em fontes sócio-históricas, destacamos os principais aspectos culturais e educacionais (antropocêntrico/ecocêntrico, adultocêntrico/dialógico) dos dois estilos de infância. A partir da perspectiva sócio-histórica refletimos acerca das infâncias atuais e de seus modelos de educação.


Palavras-chave


infâncias, abordagem sócio-histórica, estudos pessoa-ambiente, educação indígena, antropocentrismo/ecocentrismo

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, C. D. Capítulos da História Colonial 1500/1800. Belo Horizonte: Itatiaia, 2000.

BUJES, M. I. E. A invenção do eu infantil: dispositivos pedagógicos em ação. Revista Brasileira de Educação, v. 21, p. 17-39, 2002.

BUSS-SIMÃO, M.; MEDEIROS, F. E. D.; SILVA FILHO, J. J. D. Corpo e Infância: natureza e cultura em confronto. Educação em Revista, v. XXVI, n. 3, p. 151-168, 2010.

CABRAL, D. D. C. Na presença da Floresta. Mata Atlântica e história colonial. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

CLASTRES, P. A Sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

CUNHA, M. C. D. História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

DEAN, W. A ferro e fogo. A história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

FERNANDES, F. A organização social dos Tupinambá. São Paulo: Instituto Progresso Editorial, 1948.

GANDAVO, P. M. D. História da Província de Santa Cruz. São Paulo: Hedra, 2008. Publicado originalmente em 1576.

LÉRY, J. D. Os Índios do Brasil. Lisboa: Teorema, 2003. Publicado originalmente em 1578.

LOPES, J. J. M. Geografia das Crianças, Geografia das Infâncias: a contribuição da Geografia para o estudo das crianças e de suas infâncias. Contexto & Educação, v. XXIII, n. 79, p. 65-82, 2008.

MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. 2012a. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&Itemid=30192. Acesso em 19/12/2015.

MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental. 2012b. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15548-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&Itemid=30192. Acesso em 19/12/2015.

MONTEIRO, E. Os Brasis de Uruçumirim. Uma prosa histórica sobre os nativos Tupinambás da Guanabara de Aimberê. Rio de Janeiro: Tauari, 2000.

PEILLARD, L. Fernão de Magalhães e a Primeira Volta ao Mundo da 'Victoria'. Lisboa: Bertrand, S/D.

PEREIRA, M. S. A navegação de 1501 ao Brasil e Américo Vespúcio. Rio de Janeiro: ASA, 1984.

PEREIRA, M. S. Índios Tupi-Guarani na pré-história - suas invasões do Brasil e do Paraguai, seu destino após o descobrimento. Maceió: EDUFAL, 2000.

PRIORI, M. D. História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 2004.

RAMOS, F. P. A história trágico marítima das crianças nas embarcações portuguesas do século XVI. In: PRIORI, M. D. História das Crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 2004. p. 19-54.

RODRIGUES, T. A população portuguesa. Das longas permanências à conquista da modernidade. População e Sociedade, n. 18, p. 21-42, 2010.

SCHWARCZ, L. M.; STARLING, M. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

STADEN, H. Duas Viagens ao Brasil. Porto Alegre: R&PM, 2011. Publicado originalmente em 1526.

THEVET, A. Les singularités de la France Antartique. Les Brésil des Cannibales au XVI siècle. Paris: La Decouverte/Maspero, 1983. Publicado originalmente em 1557.

UNICEF. ECA 25 Anos. Avanças e desafios para a infância e a adolescência no Brasil. 2015.

VYGOTSKIJ, L. S.; LURIJA, A. L. La scimmia, l'uommo primitivo, il bambino. Studi sulla storia del comportamento. Firenze: Giunti Barbera, 1987. Publicado originalmente em 1930.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



 

 

====================================================================


REVISTA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO / HISTORY EDUCATION JOURNAL

QUALIS/CAPES 2016: Educação - A1 / Ensino - A1 / História - A2 / Interdisciplinar - A2 / Direito - A2 / Linguística e Literatura - B1 / Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo - B1

ISSN online: 2236-3459

E-mail: rhe.asphe@gmail.com

 

REDES SOCIAIS / SOCIAL NETWORKS

 

                   




INDEXADORES / INDEXERS

 

                  

 

 

 

              

 

 

                    

 

 

 

 

                  

 

 

                       

 

 

                    

 

 

                              

 

 

                    

 

 

                     

 

 

 

PATROCINADORES E APOIADORES / SPONSORS AND SUPPORTERS

 

                            

 

 

              

 

 

 

AGÊNCIAS DE FOMENTO / DEVELOPMENT AGENCIES