“Dedicatórias é fixar o tempo no papel” - Blog SciELO em Perspectiva