Histórico do periódico

História da Educação é uma publicação da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação (Asphe), e tem como finalidade disseminar conhecimentos  relacionados à área de História e Historiografia da Educação. A Asphe, entidade que criou e mantém a revista, é a primeira associação de pesquisadores em História da Educação a constituir-se no Brasil (1995), desempenhando  significativo papel na criação da Sociedade Brasileira de História da Educação (setembro de 1999).  É a primeira revista brasileira especializada no gênero, cujo primeiro número foi lançado em 28 de abril de 1997. Também foi a primeira da área de História da Educação a ingressar no Scielo e no ScieloEduc@.

Desde 1997, projetou-se regional, nacional e internacionalmente, ampliou suas propostas, constituindo-se como espaço de acolhimento a novos pesquisadores, mas sobretudo às produções de pesquisadores seniores da comunidade científica brasileira, assim como de pesquisadores destacados estrangeiros, interessados em divulgar suas pesquisas junto à comunidade acadêmica do Brasil.

Foi publicada em versão impressa – ISSN 1414-‐3518, até 2010. A partir de 2011, em versão online – ISNN 2236-‐3459. A versão online adota o Sistema de Eletrônico de Editoração de Revistas -‐ Seer/Ibict. Esse sistema, que tem como provedor a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, permite que o processo de submissão, avaliação, edição e publicação possa ser feito totalmente por meio eletrônico -‐http://seer.ufrgs.br/asphe. A implantação desse sistema alçou a publicação a um lugar de visibilidade similar ao de outras revistas qualificadas da área e auxiliou no aprimoramento da gestão editorial e na continuidade do reconhecido trabalho até agora desenvolvido.

Até 2006, editava dois números anuais – abril e setembro, com um número médio de 200 páginas e com tiragem de 300 exemplares, sendo que 150 são distribuídos pelas bibliotecas das Universidades e IES nacionais e internacionais. Atualmente, é quadrimestral. Aceita para publicação sessão especial/entrevistas, dossiês, artigos, traduções, resenhas, arquivos/documentos.

No ano de 2017,  História da Educação, além de completar 20 anos de ininterrupta publicação, totalizando 53 números, foi reconhecida pela CAPES - Qualis Periódicos - com qualificação A1, o mais alto estrato do sistema.

Atualmente, sua periodicidade segue a modalidade de publicação contínua, implementada a partir de 2019,  respeitando as orientações e tendências editoriais mundiais, visto que anteriormente a publicação era quadrimestral.

Além de dossiês e artigos de pesquisadores da área, de âmbito nacional e internacional, avaliados por equipe editorial e comissão científica reconhecidas na área, possui seções dedicadas à divulgação de arquivos e documentos para o estudo da História da Educação e sessões especiais com entrevistas a pesquisadores de notório saber no campo, homenagens e aulas magnas pronunciadas, além de resenhas.

Ao longo dos seus vinte e dois anos, houve uma constância na publicação diversificada e qualificada de autores nacionais e internacionais. A ASPHE e a revista História da Educação têm sido espaços privilegiados de socialização das pesquisas, de dinamização da produção historiográfica em Educação e de importantes debates no campo da investigação histórica.

Assim como a Associação, a revista tem sido construída coletivamente, com a participação de diversos associados, todos pesquisadores com reconhecida produção científica na área, o que lhe confere uma significação histórica singular.

Para que possamos ter uma ideia da expressividade acadêmica e científica de História da Educação, vale registrar que em 52 números foram publicados 517 artigos, 44 resenhas e 52 documentos inéditos, com a colaboração de 591 autores, dos quais 147 estrangeiros contemplando artigos de pesquisadores de reconhecida produção intelectual, de mais de 19  países,  a saber: Argentina, Bélgica, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha,  Estados Unidos, França, Itália, México, Nova Zelândia, Portugal, Suíça, Uruguai, Venezuela.

Ao longo de sua trajetória e até a presente data, o periódico conta com o apoio do CNPq e  da  CAPES, o que ratifica o reconhecimento da revista.