Chamada para publicação! "AS CONEXÕES E AS DINÂMICAS ATLÂNTICAS NA FORMAÇÃO DO MUNDO MODERNO"

O Dossiê “As conexões e as dinâmicas atlânticas na formação do mundo moderno” busca reunir artigos com perspectivas historiográficas que tomem a interconectividade entre distintos indivíduos e sociedades e as suas experiências transatlânticas como principal eixo de reflexão. Nas últimas décadas, um grande número de projetos acadêmicos inter-institucionais e grupos de pesquisa de ambos os lados do Atlântico promoveram uma maior troca de experiências de trabalho entre pesquisadores europeus, africanos e americanos. No que diz respeito à história das sociedades ocidentais, uma das matrizes de análise que atraiu a atenção de um grande número de pesquisadores de distintas áreas de conhecimento e que ainda produz diferentes efeitos sobre as investigações históricas entre os séculos XVI e XIX foi a chamada “Atlantic History”. Dialogando com estas e outras correntes historiográficas, um número significativo de pesquisas proporcionou uma profunda revisão de interpretações clássicas a respeito de temas ligados tanto à história da Europa e de seus impérios, quanto às histórias da África e das Américas, incluindo aqui os diversos povos indígenas do continente. No caso do Brasil, e por ocasião destas recentes perspectivas, a formação da sociedade colonial tem sido entendida nos quadros do Império português e sob uma comparação mais complexa com outras realidades coloniais do período. O maior número de estudos escritos por africanistas possibilitou uma melhor compreensão da escravidão, do tráfico atlântico e das sociedades neles envolvidas sob uma perspectiva multiculturalista, valorizando, cada vez mais, a história da África e a sua importância para a compreensão da história das Américas. As diferentes sociedades escravistas do atlântico, as migrações em escala mais global, a circulação de ideias e impressos, as diversas elites locais forjadas em economias agrárias e mercantis, seus espaços de atuação e suas estratégias e a possibilidade de compará-las umas com as outras tem oferecido uma visão do passado muito mais complexa do que há 30 anos atrás. Com relação aos aspectos políticos e econômicos, a preocupação em vincular a crise do Antigo Regime europeu com o processo de independência das colônias americanas e as distintas trajetórias institucionais dos Estados constituídos durante a “Era das Revoluções” com o avanço do capitalismo e a desagregação das economias escravistas tem crescido bastante.

Portanto, a proposta do Dossiê é reunir artigos que dialoguem com as mencionadas premissas e que busquem analisar as múltiplas conexões sociais em escala atlântica que caracterizaram a formação do mundo moderno entre os séculos XV e XIX e que tragam avaliações historiográficas atuais a respeito das pesquisas nesta área.