Chamada para submissão de artigos ao dossiê "Quadrinhos nas Américas em perspectiva transnacional"

 

 Está aberto, até o dia 1 de março de 2021 prazo para submissão de artigos ao dossê "Quadrinhos nas Américas em perspectiva transnacional", organizado pelos doutores Amadeo Gandolfo (Freie Universität Berlin) e Ivan Lima Gomes (Universidade Federal de Goiás)

As histórias em quadrinhos (HQs) são uma mídia fundamental para a compreensão do mundo contemporâneo. Com uma linguagem marcada pela interação entre imagem e texto, as HQs possibilitam uma comunicação rápida e dinâmica e são, atualmente, lidas por públicos de todas as idades. Seu caráter inter e transmidiático lhe possibilita assumir protagonismo na vida cultural do nosso tempo, vide o fato de que personagens e gêneros das HQs dominam a cultura contemporânea em mídias como cinema, TV e videogames. Os chamados “romances gráficos” conquistam as livrarias e novos leitores adicionam a leitura de imagens em sequência ao seu repertório de práticas letradas. Sua importância também se faz sentir através do crescimento de estudos que assumem as HQs como tema e objeto de pesquisa no interior das Humanidades e, em particular, da História. O objetivo deste dossiê é reunir uma parcela destes priorizando o lugar dos quadrinhos para a compreensão das Américas. Para tal, são importantes os aportes da História Cultural a partir de temas como circulação, apropriação e práticas culturais. Para aprofundar suas possibilidades heurísticas, sugere-se assumir uma perspectiva transnacional que leve em consideração os processos de transformação sofridos pelas HQs a partir de fatores como as transferências culturais entre países, na linha sugerida por Michel Espagne; a atuação de artistas como mediadores transnacionais, que mobilizam experiências e trajetórias de vida em seus processos criativos de forma a impactar outras realidades a partir da sua condição de artista em trânsito; e as representações do transnacional, em HQs com temáticas ligadas a viagens, exílios etc. O diálogo teórico-metodológico, pois, alinha-se.

Historicamente associada aos EUA, as HQs, no entanto, não se esgotam nas fronteiras deste país; de fato, a introdução da estética dos comics na América Latina nas primeiras décadas do século XX encontrou terreno fértil na região, resultando numa hibridização de referências que configuraram as HQs na região de maneira bastante específica. Tal processo prolonga-se ao longo das décadas seguintes, apontando para o estabelecimento de “mundos dos quadrinhos”, conforme define Bart Beaty a partir de Howard Becker, em realidades nacionais como Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba e México, entre outras. Não obstante, por vezes os países latino-americanos foram uma espécie de laboratório de experimentação visual, onde as influências culturais dos EUA e da Europa mesclaram-se ao estilo local de produzir narrativas, graças a tais operações de releitura e apropriação cultural que transitam entre o nacional e o transnacional. Atualmente, o cenário globalizado aponta para novas configurações desta mídia na região, a partir da circulação e apropriação de consolidação de formatos provenientes de regiões e países como a Europa e o Japão.

É de tal forma que o século XXI tem nos quadrinhos uma mídia capaz de representar, de forma privilegiada, muitas das demandas do mundo contemporâneo. Não é de se admirar que assuma papel tão ativo nas questões do nosso tempo, tornando-se um espaço privilegiado para o debate de temas como gênero, raça, desigualdades sociais e crises políticas.

Esta proposta de dossiê busca integrar o conjunto da produção acadêmica a partir dos seguintes eixos temáticos:

 

1) Teoria e método para o estudo das histórias em quadrinhos nas Américas: problemas teórico-metodológicos envolvendo a pesquisa em HQs; história e historiografia das HQs; acervos e fontes ligados à pesquisa em HQs e seus problemas; questões teóricas transnacionais para o estudo das HQs nas Américas.

 

2) História dos Quadrinhos nas Américas: atores envolvidos na produção, edição e circulação de HQs; artistas, editores, editoras e seus públicos; mediadores culturais; das histórias nacionais às histórias transnacionais das HQs;

 

3) Práticas e modos de criar HQs nas Américas: processos criativos envolvendo a elaboração de HQs; apropriação cultural; cotidiano e mundos do trabalho na produção de HQs; papel do Estado na promoção de indústrias das HQs.

 

4) Representações políticas e culturais nas Américas: a política das e nas imagens; HQs, identidades e os limites da representação; visualidades subalternas nas HQs; HQs e gênero; HQs e o debate racial; HQs e censura política; exílio e exilados: jornalismo gráfico; relatos de viajantes nos séculos XX-XXI.

 

5) Leituras e leitores de HQs nas Américas: práticas de leitura; os públicos das HQs nas Américas; estudos de recepção e os impactos de novas mídias em contextos diversos; leituras perigosas e controle; debates sobre benefícios e malefícios da leitura de HQs.