Estudo higrotérmico na autoconstrução: simulação computacional e medições em campo

Vanda Alice Garcia Zanoni, André Luís de Faria Dantas, Layane Soares Nunes, Rafael Barbosa Rios

Resumo


As moradias autoconstruídas com baixos recursos geralmente são precárias, principalmente quanto à habitabilidade. Apesar de essa realidade ser frequente no Brasil, são escassos os dados medidos em campo sobre o desempenho higrotérmico dos sistemas construtivos adotados. Nesse contexto, o objetivo deste estudo é analisar o comportamento higrotérmico da parede de alvenaria de vedação externa de uma moradia autoconstruída com bloco cerâmico revestido com argamassa em ambas as faces. A pesquisa envolveu medições em campo de umidade e temperatura e simulação computacional higrotérmica com o software Wufi Pro. No monitoramento foram obtidos dados por meio de sensores conectados a um microcontrolador Arduino Uno. Quando comparados os resultados, constatou-se que o sistema construtivo é suscetível às variações higrotérmicas superiores aos parâmetros referenciais normativos desejado para o ambiente interno. Os resultados quantificam o comportamento higrotérmico da parede externa, explicando a presença ostensiva de umidade e bolor na autoconstrução. As medições de campo, quando associadas à avaliação higrotérmica do sistema simulado, mostram que é possível experimentar soluções construtivas para embasar as decisões de planejamento e projeto no âmbito das ações de melhoria habitacional e assistência técnica.


Palavras-chave


Desempenho Higrotérmico; Simulação Computacional; Monitoramento; Autoconstrução

Texto completo:

HTML HTML




Direitos autorais 2020 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: